Os Amigos da Dona de Casa

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

As saudades são o pior

As saudades da família, do meu filho, de me zangar com ele e de simplesmente ouvir a voz dele, de ouvir a voz do meu marido, de andar de mão dada com eles, do aconchego do lar, de ter as minhas coisas sempre à mão, do aconchego de um beijo de bom dia, de ouvir gritos, gargalhadas, do meu sofá, do meu espaço e da minha privacidade.

Sinto-me triste cada vez que falo com o meu marido e o meu pequenote não quer falar comigo ou só diz olá e vai-se logo embora para ir ver os desenhos animados. Sinto-me dispensável. 


Trabalhar no estrangeiro, e estar longe da família e com 16 pessoas que não se conhece de lado nenhum numa casa gigantesca, é obra. É dificil!

Se não tivesse fé e esperança num futuro melhor já tinha voltado para Portugal.

Os dias têm estado lindíssimos, com um belíssimo sol, apesar das temperaturas negativas.

A Noruega, e este pedacinho onde estou, é tão diferente de Portugal.

Todos os dias vou a pé para o trabalho e venho - cada percurso são cerca de 5kms - e demoro 1 hora a ir e 1 hora a regressar. Ter carro aqui é impensável neste momento, os autocarros, apesar de pontuais, não existem ao fim-de-semana. Ao domingo não se passa nada, nada mesmo - está tudo fechado e só o restaurante onde estou é que abre e mesmo assim das 13h às 22h.

Todas as estradas têm uma ciclovia para bicicletas, carrinhos de bebé e peões. A hora de ponta é às 7h da manhã e às 16h30. Vejo muita gente de bicicleta, e os carros param para elas passarem.

Os noruegueses conduzem muito mal, cortam as curvas, aceleram à maluca, entram nos cruzamentos tipo doidos, mas têm cuidado com as bicicletas.

E a quantidade de crianças que existe neste país? E a quantidade de grávidas neste país? Minha nossa, tantas grávidas - este país é mesmo pro-natalidade.

E pronto, já desabafei um pouquinho. E por aí, what's up?


14 comentários:

  1. Sou franca, não sei se aguentaria. Por aqui não está nada famoso, eu mando curriculos todos os dias e quanto a respostas:nada!
    Tenta ver se há um ciber café onde possas ir à net, via Skype dá para se verem, ao menos as saudades podem ser diminidas com os olhos. Beijocas e muita força!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Karochinha, eu estou todos os dias no FB, mas não é a mesma coisa. A ligação aqui é péssima e não tem nem cheiro nem toque.
      Beijinhos

      Eliminar
  2. Nem consigo imaginar, só de te ler já tou de lágrima no olho...aqui para os meus lados acho que está tudo a piorar, cada vez mais desemprego ( cá em casa já estamos os 2)e não me parece que vá melhorar nos próximos tempos...Sê forte, acredita que mais tarde serás compensada pelo sacrifício.

    Beijos/ A Mãe

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O que me motiva é saber que estou a trabalhar, coisa que não iria acontecer em Portugal. E saber que um dia a minha vida, minha e do meus marido e filho, será melhor.
      Beijinhos

      Eliminar
  3. Acho-te uma mulher fantástica e cheia de coragem.
    Beijinho.

    ResponderEliminar
  4. Não nos conhecemos, mas acho-a muito corajosa. Não sei se conseguia. Um abraço e força.
    dp

    ResponderEliminar
  5. Não desista! Agora custa mas o futuro existe e aí e certamente, esperançoso ! Quando estiverem juntos estes momentos dificeis parecerão mais pequenos.
    Quanto ao seu filho, e natural que proced assim, estará certamente a pensar que gostaria de a ter ao pé dele e esta a fazê-lá pagar com a mesma moeda... Mas ele e apenas uma criança e quando estiver consigo haverá de conseguir mostraras saudades que tem de si. Afinal o que esta a fazer e a cuidar de providenciar um futuro melhor. Forca aí!

    ResponderEliminar
  6. Querida Tânia, estar longe de quem amamos não é fácil, é preciso resistência e fé em dias melhores. Importante manter o contacto e teres um cantinho como este para desabafar e te aproximar de nós, por cá.
    Beijinhos e abraços,

    ResponderEliminar
  7. Olá,

    já leio o teu blog há algum tempo e acho-te uma mulher super corajosa.

    Aqui também estamos decididos a emigrar, falta-nos é encontrar trabalho fora....se não for indiscrição, podes dizer-me como soubeste desse trabalho aí????

    Beijos e espero que muito em breve tenhas a tua família aí contigo.

    Toda a sorte do Mundo.
    Tita.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tita, tenho cá o meu irmão há quase 2 anos. Foi através dele.
      Beijinhos

      Eliminar
  8. Olá,
    Coragem!!
    Conseguiu o que muitos anseiam. O meu marido tem tentado arranjar aí um lugarzinho mas é dificil!!
    Eu sou funcionária publica e tive desde 2012 cortes muito significativos no ordenado e ele(marido) ficou desempregada em Outubro, tem sido muito complicado, por isso Tânia, força e muita coragem e pense no seu pequenino.
    Bjs
    Dulce Barbosa

    ResponderEliminar
  9. Não desistas, pensa que aí num país como a Noruega, é que o filhote vai ter futuro. Esquece Portugal, o nosso país é aquele que nos acolhe e nos trata bem.

    ResponderEliminar
  10. Não desistas, pensa que aí num país como a Noruega, é que o filhote vai ter futuro. Esquece Portugal, o nosso país é aquele que nos acolhe e nos trata bem.

    ResponderEliminar
  11. Oi fofa eu nao te conheço somente de ler seu blog, nos tambem emigramos do Brasil para a Espanha, foi dificil sim e muit, nao perca a coragem vc vera que vale a pena, seu filho è pequeno tem uma reaçao normal, mas vc tem um companheiro otimo que esta segurando tudo pra vc em Portugal, fique firme o tempo passa super rapido e tudo se vai arranjar um beijo

    ResponderEliminar