Os Amigos da Dona de Casa

quinta-feira, 21 de abril de 2016

Leite de Arroz

Por estas terras, não existe o belo do pacote de leite de 1lt que se pode deixar 1 mês guardado na despensa e caso passe 1 ou 2 dias da validade ainda se bebe.
Por aqui, o leite é apenas guardado no frigorífico e se apanha com muitas diferenças de temperatura, deixamos de ter leite e passamos a ter natas azedas :(

Por isso, e também porque o Miguel não reage muito bem ao leite de vaca, sempre lhe demos leites diferentes, tais como o leite de arroz, de aveia e de soja. Acho que nunca comprámos o de amêndoa. Por aqui, não existe dificuldade nenhuma em encontrar alternativas porque a alimentação específica a diversos tipos de alergias e intolerâncias, está bem presente nos supermercados e não diverge muito em preço.

Nós bebemos imenso leite cá em casa: ao pequeno almoço são logo 3 chávenas, pai e filho ao lanche, 2 taças de cereais com leite e, à ceia, mais uma taça de cereais com leite. Os pacotes voam e as coroas também!!

Assim, e ao navegar na net, comecei a notar que é, de facto, muito simples fazer leite de arroz e de aveia.

Hoje deixo-vos a receita que uso para o Leite de Arroz.

Cozer arroz branco em água, sem sal
Quando arrefecido, colocar num liquidificador 1 chávena de arroz e 3 chávenas de água fria


Triturar bem


Coar com rede (o mais fino que conseguirem encontrar). A minha solução foi colocar um pano preso com 2 ganchos de cabelo, nunca usados :) 


E, voilá, ferdig (ou seja, feito)


Colocar no frigorífico tapado (dura cerca de 3 a 5 dias).

Agora, a grande questão: 

sabe igual ao leite de vaca? Não
Sabe a leite de arroz, evidentemente. Mas nós nunca bebemos o leite "branco", juntamos ou cacau, ou café ou mesmo cereais (que contém doce).

E pronto, foi a minha partilha do dia :)

Beijinhos e espero conseguir estar mais activa daqui para a frente :)


quarta-feira, 20 de abril de 2016

Quebras de Hábitos

Neste momento:

-perdi o hábito de ir a centros comerciais;
-perdi o hábito de andar de chapéu de chuva;
-Perdi o hábito de calçar saltos altos;
-perdi o hábito de usar guarda-roupa
-perdi o hábito de usar dinheiro "vivo";
-perdi o hábito de almoçar e jantar verdadeiros "banquetes";

Mas...
-ganhei o hábito de usar comércio de rua;
-ganhei o hábito de vestir roupas impermeáveis;
-ganhei o hábito de calçar ténis e botas de montanha;
-ganhei o hábito de ter pouca roupa e não querer comprar mais;
-ganhei o habito de ter a carteira só com o cartão MB;
-ganhei o hábito de tomar longos pequenos-almoços e sempre em família


(photo taken in Djupadalen)

terça-feira, 22 de março de 2016

Migrar no país onde Emigramos

Olá,
no passado mês de Fevereiro, eu, marido e filhote, abandonámos Stavanger e rumámos a Haugesund, 80km mais a norte.

Grandes doidos que nós somos...

Tudo começou quando surgiu uma oportunidade, dentro da marca do restaurante onde estava, de exercer o mesmo cargo com condições mais apelativas (aka, melhor salário).

Começámos a pensar na ideia de sairmos do lugar para onde tínhamos emigrado há 3 anos atrás  e partir um pouquito mais a norte, para uma localidade mais tranquila e remota.

Os prós:
melhor ordenado
não gastar gasolina porque iríamos morar na cidade
não gastar portagens porque não mexíamos no carro (aqui pagamos para entrar noutra kommune, igual a pagar para sair de Almada e entrar no Seixal)
menos stress no trabalho

Os contras:
filhote na 1ª classe, a ter de mudar de escola e deixar os amigos que já tinha feito
o apoio de PPT que já se estava a desenvolver com uma técnica (as kommune oferecem apoio a crianças quando elas revelam dificuldades seja de língua, sejam físicas...)
toda a rotina que já tínhamos criado e iríamos perder

Pensamos e discutimos muito- de início parecia uma decisão linear e muito fácil... "Vamos e Pronto"
Depois, "É melhor não irmos". De todas os prós e contras, o que pesava mais era o nosso filho não se adaptar e/ou não querer ir.

Um domingo, pegámos no carro e fomos conhecer Haugesund... e fomos ver a escola onde o nosso filho poderia ir, mesmo no centro da cidade. Ele ficou super animado quando lhe perguntámos se ele queria ir para aquela escola.

A nossa decisão foi imediatamente tomada - em Março, vamos mudar-nos.

Contamos à professora da escola e Direcção e ao PPT e a todos envolvidos. Foram todos maravilhosos e o modo como trataram do nosso filho foi super positivo.
A professora falou com a turma acerca da saída do Miguel e fizeram uma festa de despedida e tudo... muito bom.

Optámos por ir em Março porque o nosso filho faz anos em Fevereiro e queríamos que ele tivesse, pela primeira vez em 7 anos, uma festa de anos rodeado de amigos da escola. Lá recebemos 13 irrequietos rapazes em casa e foi uma alegria.

Depois desse dia foi empacotar, e mandar emails, muitos emails e muitos sms, para ir ver casas e discutir preços e condições.

Com isto tudo, dia 24 d Fevereiro, mudámos-nos mesmo para o centro da cidade, O nosso filho está super adaptado e gosta de aqui estar e nós adquirimos uma nova rotina e andamos menos em stress.

O saldo está a ser positivo :)

Deixo-vos algumas fotos do que tenho visto aqui pela zona 
















Beijinhos


terça-feira, 27 de outubro de 2015

Noruega Novembro 2015

Olá a todas e todos :)

Ainda estou por terras norueguesas como gerente de um restaurante. O meu filho já está a frequentar a 1ª classe que é equivalente à pré-primária em Portugal. Por isso, aqui eles estudam até aos 19 anos. 
É tão diferente o sistema educativo, menos exigente nos conteúdos mas as crianças brincam muito e aprendem a brincar.

Existe um conceito na escola de "Uteskole" - saem um dia por semana para i aprender com a natureza. É fabuloso.

A rotina instala-se muito rapidamente. Mudamos no ano passado depois do Natal para uma casa maior, com jardim e 2 pisos. Merecemos este conforto.

Continua a não ser fácil. Este ano, ainda não fomos a Portugal porque o dinheiro também não abunda e temos outras prioridades. Os meus pais conseguirem vir cá passar os anos do neto e também no fim do verão, o que limitou um pouco as saudades.

A integração é supeeeeer difícil. Então para quem tem filhos, pior ainda, porque estamos limitados aos horários deles, não podemos ir a lado nenhum onde crianças não possam entrar e como não temos confiança e babysitters, a nossa vida é casa-trabalho-escola, e vice versa.

Mas a vida continua e em breve vamos passar por mais uma mudança.. mas acerca disso escreverei mais tarde.

Beijinhos

sábado, 14 de junho de 2014

Vou regressar a Portugal

... mas só por 2 semanas. Não vou regressar em definitivo. Dia 23, lá farei mais 2 viagens de avião (odeio) mas a família e amigos valem a pena.

Espero apanhar bom tempo, apesar de estar a apanhar tempo espectacular na Noruega. Têm estado uns dias lindos e agora quase já não escurece completamente. 

E como estão as coisas em Portugal? Estão assim tão más como pintam os meus amigos e família ou só me dizem isso para eu não incucar ideias de regresso?

Até breve

Tania


sexta-feira, 13 de junho de 2014

Ida a Kristiansand

Olá,

no domingo passado, no meu dia de folga, decidimos rumar até ao Sul, aos Algarves da Noruega - Kristiansand.

3 horas de viagem...



sabiam que aqui na auto-estrada só se pode andar a 90km/h e q a maior parte dos condutores cumpre as velocidades no caminho? Se a placa indica 70km/h, ou 90 ou 40 para eles é para cumprir. Fica mais rápido ir de comboio.

Bom, mas deixámos um Stavanger pouco solarengo, para chegarmos a Kristiansand e estava um calor espectacular. 

Ficam algumas fotos tiradas.

Beijinhos
































domingo, 1 de junho de 2014

Sabi Sushi Dinner Club

Olá, não me lembro se já vos tinha dito que trabalho num restaurante de sushi na Noruega.

Mas sim, trabalho no Sabi Sushi em Forus/Stavanger e sou Assistant Manager no restaurante. Trabalho cerca de 180h/mês, fora aquelas horas que dou à casa porque é necessário ir ficando porque o movimento é muito.

Mas a vida não é só trabalhar. Tivemos durante 3 dias a presença do chef Sébastien que elaborou uma ementa fabulosa e o feedback dos convidados não podia ter sido melhor. Fui convidada a ir jantar no 3º dia, ontem, Sábado.

Ora, então, ontem foi dia de me embonecar e ir experimentar os pratos e as bebidas dessa ementa tão especial.

Foram dias de muito trabalho, tanto para os chefes dos vários Sabi Sushi que ajudaram na confecção do menu, como para as nossas colegas na sala que tiveram a árdua tarefa de organizar o serviço todo e de zelar pelo bem-estar dos convidados.

Então aqui ficam algumas das imagens dessa noite.